Alunos setubalenses entre os que mais subiram notas graças a apoio empresarial

Publicado em Julho 10, 2017 » Destaques, Educação, Últimas

Rita Oliveira e Luís Fernandes fazem parte do leque de 50 alunos de entre mil em todo o país que mais subiram as notas do oitavo para o nono ano graças ao apoio dado por mediadores do programa de combate ao insucesso escolar do grupo de empresas que formam a EPIS. Como prémio, foram selecionados pela EPIS para participar numa semana de visitas a empresas em toda a região, mas não só. Na quinta feira, almoçaram com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fizeram uma visita aos golfinhos do Estuário do Sado a bordo da embarcação da autarquia setubalense, Maravilha do Sado, e jantaram na Pousada do Castelo de Palmela, onde tiveram a visita de Nilton.

Foi aqui que O Setubalense chegou à fala com os alunos que, antes não tinham grande apetência para prosseguir com os estudos, mas agora sabem bem o que querem fazer na vida adulta. Rita, 15 anos, aluna do nono ano da Escola Lima de Freitas beneficiou de acompanhamento providenciado por um mentor da EPIS desde o sétimo ano e agora quer seguir desporto no ensino secundário. Já Luís, 16 anos, aluno da escola secundária Sebastião da Gama, quer pegar no negócio do pai e vai agora seguir para a Academia da Autoeuropa Atec para o curso de manutenção industrial. Ambos os alunos do nono ano de escolaridade foram “apanhados” por um mediador da EPIS no sétimo ano, quando as notas escolares estavam baixas, muitas negativas. “Desde melhores planos de estudo a fazer resumos das aulas, passando por não deixar o estudo para um teste no dia anterior, tivemos grandes melhorias nas notas graças ao apoio dado pelos mediadores da EPIS”, afirmam os dois setubalenses.

É precisamente este o objectivo do programa de combate ao insucesso escolar da EPIS, modificar os comportamentos dos alunos com dificuldades, que sintam desinteresse pelo percurso académico pelas mais diversas razões e orientá-los para um melhor futuro. Diogo Simões Pereira, director da EPIS, aponta para o sucesso dos métodos utilizados pelos mediadores da EPIS nas diversas escolas parceiras como aquilo que muitos alunos precisam para voltar a ter interesse na escola. “Acompanhamos cinco mil alunos do sétimo ao nono ano de escolaridade por percebermos que é nesta fase da vida do adolescente que pode ter muitos problemas e daí resultar o desinteresse na escola”. O programa desenrola-se desde 2011 e tem sido um enorme sucesso. “Sentimos que estamos a fazer a diferença na vida destes jovens”, congratula-se Diogo Simões Pereira, entregando às cerca de 50 empresas parceiras, entre as quais a Sapec, a responsabilidade pelo sucesso do programa.

O Setubalense/ZoomOnline

Partilhe este artigo
Tags

Comments are closed.