Aniversário JSD traz Passos Coelho a Azeitão

Publicado em Julho 10, 2017 » Destaques, Política, Últimas

A JSD comemora este ano o seu 43º aniversário e desta vez a festa fez-se no nosso concelho, mais precisamente na Quinta Vítor Guedes, em Azeitão, no sábado. Presentes estiveram vários dirigentes e militantes do PSD, bem como da JSD, e os demais apoiantes, com especial destaque para a presença do líder do partido Pedro Passos Coelho.

“O nosso país é um grande país. Quem nestes 43 anos tenha uma boa memória das transformações que o país sofreu em resultado de opções democráticas, políticas, de natureza económica e social, não pode deixar de estar satisfeito por ver que houve um caminho extraordinariamente positivo”, começou por dizer Pedro Passos Coelho, líder do PSD, advertindo para os perigos de regresso a um passado em que o país esteve três vezes à beira da bancarrota.

No seu discurso de quase 40 minutos, o líder do PSD apelou aos jovens social-democratas para que se empenhem na construção de um futuro melhor para os portugueses e para o país. O furto de armamento em Tancos, a tragédia de Pedrogão Grande e a greve dos magistrados anunciada foram assuntos na ordem do dia que o líder social-democrata não quis deixar passar em branco na sua intervenção. Segundo Pedro Passos Coelho, é necessária uma “reforma do Estado” para garantir a melhoria das áreas nucleares, como “a segurança, a defesa e a justiça” para que os cidadãos se possam sentir tranquilos e confiantes. No que diz respeito aos incêndios de Pedrogão Grande, para Passos Coelho, “o Estado não esteve onde era preciso, quando era preciso”, e “se não tivesse sido a solidariedade da sociedade civil ainda hoje havia carências muito graves para suprir”. O líder do partido lamentou também o facto de ainda não ter sido aprovado um mecanismo que garanta o pagamento das indemnizações, e confessou que ficará envergonhado caso os magistrados portugueses mantenham a greve, porque “quem está ligado a órgãos de soberania não pode fazer greve. Nem os membros do governo, nem os deputados, nem os magistrados. Não vale tudo em democracia. Não basta ter razão, é preciso merecê-la também”, concluiu.

43 anos de JSD João Pedro Louro, presidente da distrital da JSD de Setúbal, foi o primeiro a falar nas intervenções políticas da tarde, “com o orgulho de receber mais uma vez o aniversário da juventude social-democrata, que sempre esteve ao lado dos jovens ao longo destes anos”. Tendo entrado para a JSD Montijo em 2011, onde começou o seu percurso, João Pedro já pertenceu também a JSD Alcochete, onde foi dando os seus primeiros passos nos eventos e iniciativas da juventude social-democrata. “Quando fazemos política local, é muito para a nossa rua, para as pessoas que nos rodeiam”, conta. “Agora sou presidente da distrital da JSD de Setúbal desde Março de 2015 e temos tentado afirmar-nos no distrito inteiro, visto que é um distrito complicado para as nossas cores. Temos a missão de colocar a JSD activa em todos os concelhos. E que orgulho enorme fazer política no distrito de Setúbal, que orgulho enorme na minha JSD e nos militantes deste distrito”, acrescentou, defendendo que há muito valor, capacidade e competência no nosso distrito. O evento, que ocorre todos os anos, teve lugar este ano na Quinta Vítor Guedes, em Azeitão, depois de a Costa da Caparica ter sido o local eleito na festa do ano passado. “Este é um momento muito importante, a comemoração do aniversário é o maior evento da JSD. Ainda para mais tendo trazido vários dirigentes nacionais do partido, como o Pedro Passos Coelho, que quando é chamado a visitar o nosso partido nunca diz que não. Sentir o apoio de dirigentes nacionais é um contributo positivo para os desafios que se avizinham”, refere.

“Este é o celebrar de cada batalha, cada vitória, cada militante, cada história”, começa por dizer Simão Ribeiro, presidente da JSD. “Celebrar cada congresso, discussão e cada amigo que na política cada um de nós foi capaz de fazer porque na política também há espaço para a amizade”, acrescentou. Com fortes críticas ao governo no seu discurso, o presidente da JSD, à qual dedicou 17 anos da sua vida, relembrou ainda que a juventude social-democrata muito tem feito pelo nosso Portugal democrático e pediu “que nos 43 anos seguintes o PSD continue a valorizar a nossa JSD como até aqui o tem feito”.

O Setubalense/ZoomOnline

Partilhe este artigo
Tags

Comments are closed.