Câmara de Setúbal promete “revolução tranquila” praias da Arrábida

Publicado em Maio 31, 2017 » Destaques, Sociedade, Últimas

Os investimentos previstos nas praias da Arrábida ultrapassam os 3,5 milhões de euros. A gestão que passa para a Câmara Municipal de Setúbal abrange as áreas de licenciamento, fiscalização e gestão dos riscos costeiros.

“Vamos assistir a uma verdadeira revolução tranquila nas praias”, disse a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, na cerimónia de assinatura dos protocolos celebrados com a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), realizada ao final a tarde da passada segunda-feira, na Fortaleza de São Filipe.
Maria da Dores Meira sublinhou que “estes acordos permitem investimentos municipais de mais de 3,6 milhões de euros nas praias setubalenses”, nomeadamente em Albarquel, Esguelha, Portinho da Arrábida, Creiro, Galapinhos, Galapos e Figueirinha e “melhores condições para todos os que as frequentam”.

“A câmara municipal irá mesmo intervir a breve prazo nestas praias, conferindo-lhes mais e melhores qualidades compatíveis com o estatuto que sempre tiveram e que é cada vez mais reconhecido, seja internamente, seja externamente através de prémios de preferência do público que lhe são atribuídos”, afirma a edil.

As principais obras a realizar, no valor de 2,5 milhões, contemplam a construção de um passadiço marítimo para ligação do parque urbano à praia da Albarquel, a beneficiação do actual esporão da praia da Figueirinha, que será transformado em passeio pedonal com zonas de estadia e ligação ao espaço marginal já pavimentado, a construção de um novo cais de apoio à náutica de recreio no portinho da Arrábida, e a melhoria da rampa de acesso utilizada pela náutica de recreio na praia da Gávea. Prevê-se ainda o investimento de mais um milhão de euros em acções de requalificação destas zonas balneares como novo mobiliário urbano, reforço da limpeza urbana e da iluminação pública e reorganização de estacionamento.

O vice-presidente da APA, António Sequeira Ribeiro, explicou que estes protocolos prevêem a transferência de competências nas áreas do licenciamento, fiscalização e gestão de riscos costeiros. “É muito importante o papel do poder local na gestão destas matérias” porque “é fundamental quem está mais próximo, no terreno, resolver os problemas”, disse o responsável. Já Lídia Sequeira, presidente da APSS, realçou que com estes protocolos, estas praias “ficam em melhores mãos” adiantando que “estamos empenhados em fazer uma obra de alargamento do canal do rio que permite receber cruzeiros”. “Queremos abrir o porto de Setúbal ao mundo”, adiantou.

O Setubalense/ZoomOnline

Partilhe este artigo
Tags

Comments are closed.