Antes do IRS, já validou as suas faturas? O prazo termina amanhã

Publicado a Fevereiro 14, 2018 » 291 Views» Destaques, Economia, Sociedade, Últimas

A partir deste ano todos os contribuintes ficam obrigados a entregar as suas declarações de IRS pela Internet. Mas antes daquele que será “um desafio para muitas pessoas com idade avançada”, afirma o reformado José Sequeira de 76 anos, “é preciso entender como validar as faturas”.

Até amanhã todos os contribuintes devem validar as facturas que são a base da sua declaração de rendimentos – IRS – através do portal e-factura, online, em https://faturas.portaldasfinancas.gov.pt/.

De janeiro a outubro de 2017 foram emitidas e comunicadas 4 643,2 milhões de faturas em Portugal. Este dia 15 é a data limite para organizar todas as faturas que se encontram pendentes, cujos valores ou categoria de catalogação precisam ser corrigidos.

Todas as faturas que vão ser declaradas no IRS devem estar devidamente validades online, por isso a Autoridária Tributária, em comunicado, indica que os contribuintes devem verificar os documentos no portal e-factura, de modo a assegurar que, ao longo do ano (2017), todas as facturas pedidas durante compras ou diferentes aquisições e pagamentos foram, devidamente, comunicadas às Finanças.
Caso seja identificado algum erro, os contribuintes devem corrigir o registo na área “Complementar Informações Facturas”.

O ano 2018 traz novidades ao nível das declarações de rendimentos e imposto. A partir de agora todos os contribuintes são obrigados a entregar as suas declarações de IRS pela Internet.

Outra novidade recai sobre os contribuintes com níveis de rendimentos intermédios (entre a chamada classe média). Com esta medida, em vez de 5 escalões de IRS, passam a existir 7. Um alargamento que assegura que, todos os contribuintes com um rendimento mensal abaixo dos 3 250,00 euros vão pagar menos imposto.

Esta redução será uma ajuda sobretudo para trabalhadores por conta de outrem e reformados como José Sequeira, de 76 anos. “Com uma reforma de pouco mais de 1 000,00 euros vejo-me todos os anos a braços com uma conta de IRS considerável para pagar. A minha reforma é mais alta que a média, mas também o meu rendimento é o único em casa”.

Os contribuintes com rendimentos mensais acima dos 3 250,00 euros também vão pagar menos IRS, isto porque a famosa sobretaxa de 3,5% foi eliminada. Medidas que custaram ao governo vários milhões de euros no Orçamento de Estado para este ano.

Isentos? Quem não paga ou não precisa entregar IRS
Em 2017 quem recebia até 615,00 euros por mês estava isento de pagar IRS. Em 2018, o valor isento limite passa a ser 632,00 euros mensais.

Sobre os contribuintes dispensados de entregar a declaração, estes podem pedir a emissão de uma certidão, gratuita, Nesta certidão são indicados a valor e a natureza dos rendimentos, que obtiveram durante o ano.
Para a dispensa de apresentação de declaração de IRS em 2018 ficam habilitados todos os contribuintes que, em 2017, apenas tenham recebido valores isolados ou acumulados com outros, mas dentro de determinados parâmetros apresentados pelas Finanças.

– Rendimentos de trabalho dependente ou pensões de valor igual ou inferior a 8 500,00 euros, que não tenham sido sujeitos a retenção na fonte e que não incluam rendimentos de pensões de alimentos de valor superior a 4 104,00 euros.

– Contribuintes que tenham passado atos isolados de valor anual inferior a 1 676,88 euros, desde que não aufiram outros rendimentos.

– Subsídios ou subvenções no âmbito da Política Agrícola Comum (PAC) de montante anual inferior a 1 676,88 euros. Mesmo que, simultaneamente, tenham obtido rendimentos tributados por taxas liberatórias e rendimentos do trabalho dependente ou pensões cujo montante não exceda, isolada ou cumulativamente os 4 104,00 euros.

O Setubalense/ZoomOnline

Share this post
Tags

Comments are closed.