Feel4Planet e Ana Quintino unem-se em exposição para consciencializar setubalenses

Publicado a Abril 4, 2018 » 746 Views» Agenda, Cultura, Destaques, Sociedade, Últimas

Com a exposição “Beata no chão, no mar, na areia: uma perigosa viagem”, o grupo Feel4Planet e a artista Ana Quintino juntaram-se para dar forma através da arte às mais de 50 mil beatas recolhidas ao longo de 2017 nas onze acções de recolha realizadas em Setúbal, entre as praias e a zona urbana.

“Tínhamos todas as beatas guardadas e não sabendo muito bem o que fazer com elas decidimos convidar a artista Ana Quintino para colaborar connosco com este trabalho”, começa por explicar Carolina Nunes, uma das fundadoras do grupo Feel4Planet. “As esculturas, das mais abstractas às mais concretas, pretendem sensibilizar e consciencializar as pessoas, dando vida a todas estas beatas recolhidas durantes as acções do ano passado para que as pessoas vejam e tenham uma maior e melhor noção desta problemática”, acrescenta.

Hoje, quarta-feira, pelas 21h, terá lugar a inauguração da exposição “Beata no chão, no mar, na areia: uma perigosa viagem”, com esculturas realizadas por Ana Quintino a partir das beatas recolhidas na cidade de Setúbal e nas praias da região pela Feel4Planet com a ajuda de mais de uma centena de voluntários, no âmbito da campanha #STBSEMPONTAS.

“Conheci esta associação no Fórum da Juventude do ano passado. Quando a Carolina da Feel4Planet me convidou para colaborar com elas no sentido desta exposição, eu disse imediatamente que sim”, conta a artista Ana Quintino. “Adoro explorar materiais novos e isto para mim, entre criar as três pinturas e as oito esculturas que farão parte da exposição, foi um desafio”, adianta. Com o apoio da Câmara Municipal e do Gabinete da Juventude de Setúbal, da Capitania do Porto de Setúbal e da APSS, a exposição ficará patente na Casa do Largo até ao dia 24 de Abril.

“Espero que as pessoas vejam isto não como um incentivo para mandar as beatas para o chão para que eu possa continuar a realizar trabalhos como este mas sim como uma acção de sensibilização e consciencialização para que as pessoas percebam realmente que não o devem fazer, que a problemática das beatas é real e não as devem atirar para o chão”, alerta a artista, a quem se junta Carolina Nunes, da Feel4Planet, para dizer que “esta exposição não representa o término da campanha mas sim o resultado das acções realizadas entre 2017 e 2018, até agora. Se a exposição vier a mudar de sítio, nesse sítio estarão presentes todas as beatas recolhidas até esse momento”.

Os 144 voluntários realizaram ao longo do último ano nove acções e recolheram 53.032 beatas, o que correspondeu a cerca de 11 horas de recolha, com a colaboração de 144 voluntários. As restantes beatas, que perfazem o resultado final de 74.658 até agora, foram apanhadas no decorrer de duas jornadas realizadas já durante o primeiro trimestre deste ano. Cerca de 13 horas foi o tempo somado do total das 11 acções promovidas e realizadas pela Feel4Planet.

O Setubalense/ZoomOnline

Share this post
Tags

Comments are closed.