Este fim-de-semana é a vez do Hugo!
Prepare-se o mau tempo continua

Publicado a Março 16, 2018 » 1363 Views» Destaques, Sociedade, Últimas

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a Proteção Civil de Setúbal alerta, “prevê-se nas próximas 48h00 o agravamento das condições meteorológicas”, no distrito.
A precipitação será persistente e pontualmente forte em Setúbal, a partir de amanhã, entre 12h00 e as 21h00. No final da manhã de domingo (18 março) há tendência para uma diminuição da precipitação.

OUTRAS CONDIÇÕES

* Condições para queda de neve acima dos 800/1000 metros, com acumulação de até 5 cm, nas regiões Norte e Centro, no período compreendido entre as 18:00h de hoje (16 MAR) e as 09:00h de amanhã (17 março).

* Aumento da intensidade do vento a partir do final do dia de hoje, mantendo-se durante o dia de sábado (17 março), com rajadas a atingirem os 90 Km/h, no litoral, e 100 km/h nas terras altas, em especial na faixa costeira a Sul do Cabo Mondego. Os períodos mais críticos situar-se-ão entre as 06:00h e as 12:00h e entre as 18:00h e as 24:00h.

* Possibilidade de se verificarem fenómenos extremos de vento (intensidade superior à acima indicada) no litoral Centro e Sul, especialmente no período da tarde.

* Diminuição da intensidade do vento a partir do final da manhã de domingo (18 março), mantendo-se, contudo, a previsão de rajadas até 70 km/h.

* Agitação marítima com ondulação de noroeste de 4 a 5 m na costa ocidental a Sul do cabo Mondego até final da manhã de domingo (18 março). Na costa Sul, prevê-se agitação marítima de sudoeste, também de 4 a 5 m, a partir do final da tarde de amanhã (17 março).

EFEITOS EXPECTÁVEIS

* Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;

* Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;

* Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis

* Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;

* Danos em estruturas montadas ou suspensas;

* Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;

* Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;

* Possíveis acidentes na orla costeira;

* Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

 

ZoomOnline/O Setubalense

 

Share this post
Tags

Comments are closed.