Insucesso escolar no 1º ciclo em Setúbal é a maior a nível nacional

Publicado a Maio 31, 2017 » 368 Views» Destaques, Educação, Últimas

A taxa de insucesso escolar no primeiro ciclo em Setúbal é superior à nacional, embora se verifique uma evolução favorável dos dados ao longo dos últimos quatro anos. Os dados são do Governo.

A taxa média de retenções no primeiro ciclo das 42 escolas do concelho de Setúbal é superior à média nacional, sendo os 2º e 3º anos de escolaridade os que apresentam a maior taxa de reprovações. Na plataforma infoescolas, do Ministério da Educação, que apresenta dados de sucesso escolar entre os anos lectivos 2011/12 e 2014/15, pode-se observar que nos últimos quatro anos, nunca a taxa de reprovação das escolas do concelho foi inferior ou igual à média nacional, exceptuando o quarto ano, no ano lectivode 2012/13. A taxa de retenção ou desistência mostra a percentagem de alunos que não podem transitar para o ano seguintes por razões diversas, entre as quais o insucesso escolar e a anulação da matrícula. Em Setúbal, tanto no segundo como terceiro e quarto anos, essa taxa é superior à nacional, tendo em conta os 4609 alunos inscritos no Ensino Básico Geral e Artístico, até ao ano letivo de 2014/15. Neste ano, último que os dados do Ministério apresentam, a segunda classe teve uma taxa de retenção de 11 por cento, mais dois pontos que a média nacional. A terceira classe apresentou uma taxa de cinco por cento, mais um ponto que o nacional e a quarta classe três por cento, um ponto percentual acima do restante do país.

A título de exemplo, na Escola Básica Nº2 da Azeda, com 171 alunos, três por cento dos meninos do segundo ano ficaram retidos, enquanto dez por cento do terceiro ano e dois por cento do quarto não avançaram para o próximo ano de escolaridade. Já na Escola Básica do Bairro Afonso Costa, as taxas de insucesso foram superiores: 20 por cento no segundo ano, 11 por cento no terceiro e nove no quarto. Em Azeitão, nas quatro escolas públicas do primeiro ciclo, a Escola Básica de Vila Fresca foi a que apresentou melhores resultados. Das 75 crianças que em 2014/2015 frequentavam a escola, nove por cento ficaram retidas no segundo ano, mas não houve qualquer taxa de retenção nos anos de escolaridade seguintes.

Quando realizada a leitura no segundo ciclo, os dados do concelho continuam a refletir uma tendência negativa. No quinto ano, houve 14 por cento de chumbos e no sexto onze por cento, enquanto a nível nacional, a taxa situa-se nos oito e nove por cento no quinto e sexto ano, respectivamente. Quanto ao terceiro ciclo, a taxa média de retenções das dez escolas do concelho foi superior à média nacional, sendo os 7º e 9º anos os que apresentam a maior taxa de reprovações. Na plataforma governamental, pode-se observar que nos últimos quatro anos, nunca a taxa de reprovação das escolas do concelho foi inferior ou igual à média nacional.

Já em relação ao ensino secundário, a leitura dos dados faz chegar a uma conclusão satisfatória em relação à sua prestação dos alunos a partir do décimo ano. As taxas de reprovação, apesar de altas, estão alinhadas com a média nacional. O Liceu Bocage é a instituição setubalense cuja taxa de reprovação fica abaixo dos dados nacionais nos três anos do secundário. As restantes quatro escolas no concelho superam-na ou igualam.

O Setubalense/ZoomOnline

Share this post
Tags

Comments are closed.