Ponte Barreiro-Seixal aproxima populações

Publicado em Março 31, 2016 » Sociedade, Últimas

Ponte Barreiro-SeixalUma ponte Barreiro-Seixal tem sido mais do que uma reivindicação da população, uma necessidade de dois concelhos vizinhos, culturalmente próximos, afetivamente próximos, a escassos 400 metros de distância, medidos em linha reta (sobre o Rio Coina), mas a longínquos 16 pela rodovia.

Neste sentido, os Municípios do Barreiro e do Seixal uniram-se para recuperar uma ligação entre os dois concelhos: um projeto que aproveitará o traçado da antiga ponte do Seixal (danificada nos finais dos anos 60 por uma embarcação, não mais tendo sido recuperada), com cerca de 400m, que deverá permitir a circulação fluvial no Rio Coina e, de acordo com o Presidente da Câmara Municipal do Barreiro (CMB), Carlos Humberto de Carvalho, se integrará no sistema de ciclovias, ligando os dois terminais fluviais existentes nos dois concelhos.

Trata-se de um investimento de cerca de quatro milhões de euros, divididos pelos dois municípios, que submeteram candidaturas a fundos comunitários, para financiamento a 50 por cento, inseridas no Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável da Área Metropolitana de Lisboa (PAMUS), programa que financia, apenas, investimentos relacionados com a mobilidade sustentável.

Conforme afirmou o Presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, na segunda-feira, 28 de março, na Cerimónia de Assinatura do Contrato de Concessão de Utilização Privativa de Domínio Público da Doca Seca, junto à antiga Estação Fluvial do Barreiro, entre o Município do Barreiro e a CP, será um projeto para avançar o mais rapidamente possível.

Partindo do princípio que as candidaturas abrirão, ainda, em 2016, crê-se que, em 2017/18, se poderá iniciar a construção, não se prevendo um trabalho nem complexo, nem prolongado.

Esta ponte é um projeto diferente da, há muita falada, ligação rodoviária entre este dois concelhos porque tem como objetivo promover a mobilidade suave (a pé e de bicicleta) e a melhoria da relação das populações e as margens dos rios, particularmente do Coina, com a paisagem e apontamentos que apelam à perceção da qualidade de vida que existe nos dois concelhos, podendo, ainda, vir a ser reforçado este aspeto uma vez que se ambiciona que se torne uma referência arquitetónica e um projeto de qualidade.

Entendida como uma inevitabilidade e definida no Plano Diretor Municipal, a ligação rodoviária entre o Barreiro e o Seixal (mais a montante, em Santo André) e para a qual já os estudos estão realizados estará “em condições de avançar rapidamente, sendo a responsabilidade desta do Governo e da Infraestruturas de Portugal”, segundo o edil barreirense.

Os dois projetos “complementam-se”, sublinhou.

“Estamos aqui frente a frente e estamos tão longe em termos de acessibilidades”, disse o responsável do Seixal.

Lança-se, assim, a ideia mais vasta do “desenho” de um conjunto de ciclovias que ligue os concelhos ribeirinhos do Tejo.

CMB/Zoomonline

Partilhe este artigo
Tags

Deixar uma resposta