Protecção civil ‘à lupa’ quer prevenir catástrofes

Publicado em Março 31, 2017 » Agenda, Destaques, Segurança, Sociedade, Últimas

Vários especialistas na área da Protecção Civil analisam, em Setúbal, as orientações estratégicas e as medidas a implementar para a redução do risco de catástrofes. A conferência internacional sobre Riscos, Segurança e Cidadania iniciou-se ontem e termina esta sexta-feira, juntando vários nomes nacionais e internacionais para o debate de situações relativas à segurança de todos.

“Este é mais um dos contributos que, em Setúbal, quisemos dar para o debate destas matérias relacionadas com a segurança, riscos e cidadania, para o aperfeiçoamento dos sistemas de protecção civil e, consequentemente, para a segurança de pessoas e bens”, referiu a autarca Maria das Dores Meira, reforçando que é importante que todos fiquem “mais preparados para responder às questões complexas que se colocam a quem, num quadro de resposta a emergências e catástrofes, tem de tomar decisões sobre o socorro”.

A conferência teve início na manhã desta quinta-feira, com uma sessão de abertura no Fórum Luisa Todi, onde se salientou a importância deste encontro e de olhar para os problemas pela lente da cidadania. Apontada como importante para a partilha de conhecimentos e experiências nestas matérias, a conferência divide-se, por isso, em diversas sessões, a decorrer em simultâneo em vários pontos da cidade, que “devem decorrer em ambiente vivo e participado, para que possam sair recomendações com vista à resolução de problemas actuais e futuros”, afirmou José Luís Zêzere, do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território.


Do conhecimento à partilha

Organizada pela Câmara, em parceria com o Centro de Estudos e Intervenção em Protecção Civil, o Instituto de Geografia e Ordenamento do Território e o Instituto Politécnico de Setúbal, integra várias sessões temáticas, que terão lugar no Fórum Municipal Luísa Todi, na Casa da Baía, na Biblioteca Municipal, nos Paços do Concelho e na Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, e conta com a participação de cerca de três dezenas de pessoas para a partilha de conhecimentos e da aplicação de vários métodos para reduzir o risco de desastre e aumentar a segurança.

“Agir em protecção civil é assumir uma conduta civilizacional”, refere Duarte Caldeira, presidente do Centro de Estudos e Intervenção em Protecção Civil, referindo a importância do trabalho de parceria entre municípios, comunidade académica e sociedade civil, “sobretudo num momento em que é preciso consolidar pensamentos para orientar estratégias e implementar acções”.

Deste evento, que resulta do plano estratégico e da directiva municipal de Protecção Civil para o mandato 2013-2017, Maria das Dores Meira espera que estes sejam dois dias enriquecedores e dos quais se retirem ideias, sugestões e soluções, deixando um pedido a todos os participantes: “Levem na vossa memória esta cidade de Setúbal que tanto gosta de vos receber”.

Na cerimónia de abertura da conferência internacional Riscos, Segurança e Cidadania, teve ainda lugar a apresentação de um espectáculo cénico, pelo Teatro do Elefante, a que se seguiu o início dos trabalhos.

Para a sessão de encerramento da conferência, hoje, pelas 18h30, está confirmada a presença do nosso Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que “aceitou o nosso convite e dá-nos a honra de participar na cerimónia de encerramento desta conferência, reconhecendo, assim, quer a importância deste tema, quer o trabalho que, em conjunto, com vários parceiros, temos vindo a desenvolver nestas matérias”, declara Maria das Dores Meira.

O programa completo da Conferência Internacional Riscos, Segurança e Cidadania está disponível na página do evento, em www.smpcb.pt/icrsc2017.

O Setubalense/Zoomonline

 

Partilhe este artigo
Tags

Deixar uma resposta