“Queen Forever” em novembro

Publicado em Outubro 1, 2014 » Cultura

queen forever capaTrês faixas nunca antes editadas com o falecido cantor Freddie Mercury são o destaque maior de “Queen Forever”, novo disco do icónico grupo britânico, que chega às lojas a 10 de novembro.

Entre as novidades do disco encontra-se “There Must be More to Life Than This”, composição originalmente lançada em 1985 no primeiro álbum a solo de Freddie Mercury, “Mr. Bad Guy”. A faixa surge agora numa versão inédita gravada com Michael Jackson, resgatada das sessões de gravação de “The Works”, álbum de 1984 dos Queen.

“Queen Forever” junta êxitos a canções menos conhecidas da banda que recebem aqui novas versões. “São coisas que juntámos ao longo dos anos e que são mais representativas do nosso crescimento enquanto banda, não são só os nossos grandes clássicos”, diz o guitarrista Brian May sobre a novidade dos britânicos.

“Queen Forever” estará disponível numa edição normal, com 20 faixas, e numa edição ‘deluxe’, de dois CDs, que trará 36 canções do icónico grupo de Freddie Mercury e Brian May. O registo pretende celebrar o extraordinário legado de uma das mais influentes bandas rock do mundo.

William Orbit, prestigiado produtor que já trabalhou, por exemplo, com Madonna e Robbie Williams, produziu a nova versão de “There Must be More to Life Than This”, gravada originalmente no começo da década de 1980 com Michael Jackson e nunca antes escutada.

“Quando ouvi a música pela primeira vez no meu estúdio abri um tesouro providenciado por alguns dos melhores músicos de sempre. Ouvir a voz de Michael Jackson foi emocionante. Tão viva, tão fresca, tão pungente, foi como se estivesse no estúdio a cantar ao vivo. Com a faixa a solo do Freddie Mercury na minha mesa de mistura, o meu apreço por este dom deu-se a um nível ainda mais elevado”, diz Orbit sobre o seu trabalho para a faixa.

Outra das novidades de “Queen Forever” é “Let Me in Your Heart Again”, composição de Brian May escrita originalmente para o disco “The Works” mas que não foi completa então. É um tema onde a voz intemporal de Freddie Mercury se destaca e ao qual foram acrescentadas novas partes de guitarra e coros de May e Roger Taylor (baterista).

A terceira nova canção, “Love Kills”, foi composta por Mercury e o produtor italiano Giorgio Moroder. A faixa foi inicialmente gravada para uma banda-sonora concebida por Moroder para o filme “Metropolis”, de Fritz Lang, obra muda datada de 1927. Mercury gravou então uma versão da faixa, num registo mais dançante, que consistiu no seu primeiro single a solo, lançado em 1984. A versão agora editada é mais lenta e surge em tom de balada, tendo sido interpretada na mais recente digressão que juntou os Queen ao cantor Adam Lambert.

Os Queen, uma das mais celebradas bandas rock do mundo, editaram recentemente o disco “Live at the Rainbow´74”, registo de um dos mais emblemáticos concertos de sempre do grupo.

Universal Music Portugal/Zoomonline

 

Partilhe este artigo
Tags

Deixe uma resposta