“Recuperação integral dos terrenos do Bonfim é a medida-bandeira” – Vítor Hugo Valente

Publicado a Fevereiro 24, 2017 » 2800 Views» Desporto, Destaques, Últimas

O Setubalense – Qual é a génese desta candidatura e como foi decidido que a lista seria liderada por si em detrimento de Pedro Gaiveo Luzio?

Vítor Hugo Valente – Eu tinha constituído uma equipa, de forma informal, já há mais de um ano. E também existia uma lista formada pelo Pedro Gaiveo. Houve um entendimento para nos unirmos, porque praticamente todos os pontos eram comuns às duas equipas: modelo, estilo, forma de pensar o Vitória e o que queríamos para o clube. O próprio Pedro Gaiveo entendeu que devia ser eu a encabeçar a lista. Temos vindo a estudar, a encontrar parceiros e a ouvir sócios de vários quadrantes profissionais. Somos a expressão da união.

Há quem diga que esta é a única lista composta apenas por vitorianos de gema. Concorda? 

Conheço a minha lista e sei que, na esmagadora maioria, são sócios de 30 e 40 anos, mas não meço o vitorianismo.

Porque é que, no final de março, os vitorianos devem votar na lista liderada por Vítor Hugo Valente?

 Vamos apresentar uma equipa fortíssima, com pessoas capazes e competentes nas suas diversas áreas profissionais, e temos um programa que consubstancia o nosso lema “Vitória, paixão e compromisso”. O Vitória, para nós, só é entendido como paixão. Compromisso porque queremos que os sócios entendam que as medidas do nosso programa é um verdadeiro contrato. Estamos convictos de que, o que vamos propor aos sócios, nos irá permitir ganhar as eleições e servir os interesses do Vitória, mas não temos a pretensão de qualificar o nosso programar e de dizer que é melhor ou pior do que o dos outros candidatos. Quem vai decidir isso são os sócios, que são os donos do clube.

E das tais medidas que vai apresentar, o que já pode desvendar?

Iremos apresenta-las em primeira mão aos sócios, aquando da apresentação da candidatura. Mas gostaria de aproveitar para anunciar a nossa medida-bandeira, a questão do património do Bonfim. Representa o propósito de desenvolver diligências que já foram pensadas e que passam por uma estratégia de grande complexidade jurídica, e que têm a ver com a recuperação integral dos terrenos do Bonfim. Queremos que esses terrenos voltem a ser do Vitória, desonerados e livres, para que o clube possa fazer deles o que os sócios vierem a entender. Isso só poderá ser feito com a intervenção e colaboração da Câmara Municipal, que estamos cientes que vamos ter.

Queremos formar equipas de trabalho com conjuntos de sócios e criar um gabinete do associado, para enviarem sugestões, ideias e críticas, porque o Vitória é grande demais para se esgotar numa direção.

 

 

[1ª parte da entrevista a Vítor Hugo Valente]

O Setubalense/Zoomonline

Share this post
Tags

Deixe uma resposta