Requalificar a Alburrica do Barreiro é grande aposta PCP

Publicado em Março 6, 2017 » Destaques, Política, Sociedade, Últimas

A Alburrica do Barreiro constitui parte integrante da zona fluvial do concelho, junto com a Praia do Clube Naval e o Bico do Mexilhoeiro. É na zona da Alburrica que se encontram os tradicionais Moinhos de Vento, considerados património de interesse municipal, circundados pela Quinta do Braancamp e pelos Moinhos de Vento e de Maré.

A Câmara Municipal do Barreiro assume como responsabilidade de intervenção sócio-económica, “a recuperação de um conjunto de zonas inerentes à chamada zona da Alburrica e Mexilhoeiro do Barreiro. Uma área reconhecida por integrar a Quinta do Braancamp, os Moinhos de Vento e os Moinhos de Maré”, destaca Sofia Martins, vice-presidente da Câmara Municipal do Barreiro.

A recuperação destes espaços foi abordada durante uma visita ao concelho realizada pelo executivo da câmara, em conjunto com membros da concelhia PCP Barreiro, em ambiente de pré-campanha. No sentido de dar a conhecer à população os projetos em desenvolvimento para o Barreiro “e, por outro lado, ouvir também as suas questões e opiniões sobre as necessidades que consideram mais urgentes”, ressalva vice-presidente.

A recuperação destes espaços representa, para o município, “não apenas uma abordagem local, no sentido de recuperar a história do Barreiro e dar mais espaços públicos à população”. Mas também, na perspetiva de Sofia Martins, “uma visão integrada daquelas que podem ser as potencialidades da região, como um todo”.

Lazer e preservação histórica no sentido de potencializar turismo

A Quinta do Braancamp, atualmente um espaço devoluto, ao abandono junto à Praia do Clube Naval, representa uma área para a qual se prevê a recuperação de edifícios históricos e construção de um espaço verde, “o que permitirá à população ter acesso a uma zona de náutica e lazer, com mais qualidade, dentro da cidade” perspetiva Sofia Martins.

Ao nível dos Moinhos de Vento “a Câmara Municipal do Barreiro pretende intervir na recuperação exterior, colocando velas, como na época em que os moinhos funcionavam”, de modo a preservar a história antiga do concelho, recriando referências sobre o complexo moageiro da Alburrica e a sua importância no passado e presente.

Quanto aos Moinhos de Maré, a intervenção de maior impacto é dedicada ao Moinho Pequeno, “que vai integrar um espaço museológico, dedicado ao desenvolvimento de atividades pedagógicas, ao mesmo tempo aberto à população em geral como núcleo cultural e janela panorâmica sobre a caldeira do Tejo”.

Tempo de estudar para potencializar

A Câmara Municipal do Barreiro procura dar seguimento a um conjunto de projetos âncora que, no futuro, “podem contribuir com potencial turístico e consequente desenvolvimento económico”, conclui Carlos Humberto, presidente da Câmara Municipal do Barreiro.

Neste momento existe uma aposta no estudo sobre as potencialidades do concelho “interligado a Lisboa e em articulação com os outros municípios do arco: Seixal e Almada”, reflete o autarca.

Após a recente visita da autarquia a Liverpool e Wirral, no sentido de observar um estudo de caso de uma cidade em duas margens e de como é possível potencializar a fixação de atividades económicas e valorizar territórios, através da requalificação ambiental e urbana. A Câmara Municipal do Barreiro dedica-se agora a “colocar em prática projetos já previstos e estabelecer novas metas para o futuro, utilizando conceitos já utilizados com sucesso em outras realidades”.

O Seixalense/Zoomonline

Partilhe este artigo
Tags

Deixe uma resposta