Trabalho da APAV em Setúbal aumenta no espaço de um ano

Publicado em Março 29, 2017 » Destaques, Segurança, Sociedade, Últimas

Ao longo do ano de 2016, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima tratou 651 casos de violência doméstica em Setúbal, o que representa um aumento de 110 face a 2015, quando foram tratados 541 casos.

Este aumento faz também com que o distrito suba um lugar no ranking nacional de vítimas, ultrapassando Vila Real e Coimbra, mas sendo ultrapassado por Faro.

Setúbal é agora o quatro distrito com mais vítimas, atrás de Lisboa, Porto e Faro, ao passo que no ano passado era quinto, precedido de Lisboa, Porto, Vila Real e Coimbra. Estes números referem-se a processos trabalhados nas redes da APAV, desde Gabinetes de Apoio à Vítima, Casas Abrigo, Unidades de Apoio à Vítima Migrante, ou Centro de Acolhimento e Protecção.

De acordo com o Relatório Anual da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, foram identificados em 206 9.625 autores de crime. Destes, 80 por cento eram do sexo masculino e tinham idades compreendidas entre os 35 e os 54 anos (23 por cento).  30 por cento eram casados e possuíam uma ocupação profissional (30,6 por cento). O tipo de vitimação continuada foi o mais registado em 2016, representando 75,8 por cento dos casos. De acordo com os dados recolhidos os locais do crime mais referenciados foram a residência comum, a residência da vítima a via pública.

No que diz respeito às vítimas, as mulheres continuam a ser as principais vítimas de crime, num total de 7.654, na sua maioria com idades compreendidas entre os 25 e os 54 anos e inseridas numa família nuclear com filhos, sendo 28,6 por cento casadas e 21,1 por cento solteiras.

O Setubalense/Zoomonline

Partilhe este artigo
Tags

Deixar uma resposta